sábado, 14 de junho de 2008

Por Gabriela Hatum de Mendonça.


Ludíbrio desfrutável


"Devasso pecado íntimo que a mim

Condena meus devaneios surrealistas.

Sou a afronta inquietante do moralismo,

A feição humana aprisionada, obscuramente sádica.


Insanidade astuta, anseio instintivo.

Serei a amante fatídica, a libertina

A qual levará a ti a condenação, a clemência.

E desvirtuada trarei seu deleite.


Lolismo, Voyerismo, Sodomia.

Parafilia em falicismo.

Farei a minha iniqüidade flamejar em ti, equilibrado humano.


Em entediados momentos particulares

Procurará em rebento faminto a ninfa oculta,

O anjo místico amaldiçoado pela inclinação imprópria,

A sublime cópula coibida.


Realidade fidedigna, dissimulada repressão.

E sua veleidade, deslumbramentos em volúpia são acorrentados

Criando em ti a patologia da lascívia torpe, fazendo-o fraquejar

Diante de meus indignos apetites impudicos.


Bondage, Corefilia, Frotteurismo.

Sadismo e Masoquismo.

Sofrimento ao êxtase, imponho a ti, sensato humano.


Amordaçado, fricções extasiastes

Serão cometidas por minhas oscilações corpóreas

Em uma dança exótica entre meus flancos e ventre, e

Levá-lo-ei ao esplendor de todo júbilo.


Serei, assim, sua apologia ao crime,

A mascarada corrupta, a cruel intrusa de suas idealizações.

Estalos de açoite, o espartilho entreabrindo-se por minhas falanges,

E em meu mais altivo gemido, findarei meu ousado desígnio:

Conquistar-te."


4 comentários:

Gabriela Hatum de Mendonça disse...

Fico feliz por ter gostado da poesia e mais ainda por tê-la recebido tão bem a ponto de divulgá-la em seu blog.Muito obrigada!
Agradeço antes por impulsionar-me inconscientemente a registrar esse tema tão peculiar, e que está, indiscutivelmente inserido na imaginação de todos nós, seres humanos.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Hosana Vieira disse...

De uma sensibilidade impar...parabéns a Gabriela!