sábado, 22 de novembro de 2008

Nesse mar de lágrimas...


Desde que nascemos movimentamos tudo que nos cerca. Temos a responsabilidade absoluta sobre a vida e o caminho dos outros. Podemos destruir lugares, matar pessoas, causar danos ou causar benefícios. Quanta dor você causou durantes seu pouco tempo aqui? Quantos sorrisos você destruiu? Quantas noites de sono você perturbou? Quantos sonhos você penetrou? Quantos caminhos você modificou? Com um simples gesto, uma simples palavra, você pode causar coisas maravilhosas, ou simplesmente, derramar algumas lágrimas, que pode parecer de baixo relevo, mas são caras, são raras. Ouvi dizer uma vez que cada lágrima é uma gota da alma. E eu acho que todos temos alma, só que não viemos com uma quantia extra para esses derramamentos desnecessários, somos limitados. A vida continua a mesma, mas os caminhos se modificam a cada minuto. Como uma folha que cai lentamente de uma árvore. O fato de você estar do lado, já modifica sua trajetória. Vivemos no fio da navalha, podemos destruir, construir, destruir novamente, portanto, somos deuses, somos arquitetos, somos construtores de histórias, de buracos ou flores nas memórias. Quantos mundos você explodiu com uma simples negação? Que tenho cá pra mim, não lhe cabe o direito de tal. Então o que eu peço, porém, não impeço, é uma dose de loucura. Precisamos ser loucos para plantarmos um imenso jardim. A consciência em excesso causa um enorme prejuízo, vê apenas o mundo. Enquanto que a loucura vai além de um simples corpo físico. Sejamos loucos então. Somente assim alcançaremos a liberdade absoluta. Não a liberdade do mundo, e sim a liberdade de nós mesmos. Sejamos loucos, para nos sentirmos um pouco melhor diante desse mar de lágrimas com algumas flores flutuantes.

Hoje tem "A Filosofia na Alcova" no SESC Santo André.


sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Eu vibro ao redescobrir pessoas maravilhosas.

Estava eu com minha timidez meio orgulhosa. Quando eu descubro um sorriso sincero, não que nunca tenha sido, apenas não tinha notado. Não foi à toa que nossos caminhos se cruzaram... Não foi à toa que nossas vidas se parecem. E acho que parecer por demais me fez não querer enxergar. Existem pessoas no mundo que merecem uma homenagem todos os dias... Pela história de vida, pelas lágrimas derramadas, pelos sonhos conquistados, pelos sonhos transformados e pelo olhar de criança, que brilha tanto, tanto, que às vezes chega a derreter o gelo em nossas almas. E então percebemos o quão importante ela é em nossa vida. Queria ter esse brilho no olhar... Mas pra que isso aconteça, eu preciso aprender com quem já o tem. Por isso eu vibro. Por uma nova descoberta. A vida nos prega cada peça. Às vezes procuramos tão longe, o que nos inspira, nossos ideais, e não enxergamos que ele está bem mais perto do que pensamos, dentro do sorriso sincero da eterna criança de olhar brilhante, por exemplo... Feliz por esse momento, feliz por descobrir que você sempre foi especial para mim... Por ter me abraçado quando cheguei nessa casa. Feliz por saber que você, no que depender de mim, vai estar sempre por perto. E eu não espero nada em troca, apenas que esse brilho continue contagiando a todos, e aquecendo pessoas congeladas pela vida.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Às vezes quando eu paro, deitado, e sinto o meu sangue correndo a uma velocidade descomunal, meu pulmão se abre por completo. Na verdade, sempre jogo qualquer coisa que deveria estar no coração para o pulmão, então eu aspiro fundo, seguro alguns soluços e jogo tudo em gás carbono. A vida nos ensina que o que não se pode ultrapassar, fica para trás ao mudarmos o sentido. E eu mudo meus sentidos constantemente. Uma vez estou atrás e outras estou bem longe... E assim, meus dias estão completos, com minhas unhas roídas e meu tapete persa. O que mais poderia querer em velho gato vira-lata e sem sentido. Só deixar de te querer? Na verdade, sempre jogo qualquer coisa que deveria estar no coração para o pulmão, então eu aspiro fundo, seguro alguns soluços e jogo tudo em gás carbono. Às vezes quando eu paro, deitado, e sinto o meu sangue correndo a uma velocidade descomunal, meu pulmão se abre por completo. E meu pulmão. A vida nos ensina que o que não se pode ultrapassar, fica para trás ao mudarmos o sentido. Uma vez estou atrás e outras estou bem longe... E assim, meus dias estão completos, com minhas unhas roídas e meu tapete persa. O que mais poderia querer um velho gato vira-lata e sem sentido. Só deixar de te querer? E eu mudo meus sentidos constantemente. E meu pulmão. Às vezes quando eu paro, deitado, e sinto o meu sangue correndo a uma velocidade descomunal, meu pulmão se abre por completo. E meu pulmão. Na verdade, sempre jogo qualquer coisa que deveria estar no coração para o pulmão, então eu aspiro fundo, seguro alguns soluços e jogo tudo em gás carbono. A vida nos ensina que o que não se pode ultrapassar, fica para trás ao mudarmos o sentido. E eu mudo meus sentidos constantemente. Só deixar de te querer? E assim, meus dias estão completos, com minhas unhas roídas e meu tapete persa. O que mais poderia querer um velho gato vira-lata e sem sentido. Uma vez estou atrás e outras estou bem longe... Às vezes quando eu paro, deitado, e sinto o meu sangue correndo a uma velocidade descomunal, meu pulmão se abre por completo. Na verdade, sempre jogo qualquer coisa que deveria estar no coração para o pulmão, então eu aspiro fundo, seguro alguns soluços e jogo tudo em gás carbono. A vida nos ensina que o que não se pode ultrapassar, fica para trás ao mudarmos o sentido. E eu mudo meus sentidos constantemente. Uma vez estou atrás e outras estou bem longe... E assim, meus dias estão completos, com minhas unhas roídas e meu tapete persa. O que mais poderia querer um velho gato vira-lata e sem sentido. Só deixar de te querer? E meu pulmão. Às vezes quando eu paro, deitado, e sinto o meu sangue correndo a uma velocidade descomunal, meu pulmão se abre por completo. E meu pulmão. Na verdade, sempre jogo qualquer coisa que deveria estar no coração para o pulmão, então eu aspiro fundo, seguro alguns soluços e jogo tudo em gás carbono. E eu mudo meus sentidos constantemente. Só deixar de te querer? Uma vez estou atrás e outras estou bem longe... A vida nos ensina que o que não se pode ultrapassar, fica para trás ao mudarmos o sentido.E assim, meus dias estão completos, com minhas unhas roídas e meu tapete persa. O que mais poderia querer um velho gato vira-lata e sem sentido.